A persistência na vida de Isabella Mogiz

Fotos: Arquivo Pessoal

Fotos: Arquivo Pessoal

 

Isabella é psicóloga, coach e empreendedora. Trabalhou no mundo corporativo, mas a falta de liberdade de tempo e de chances de exercer sua criatividade fizeram ela perceber que não estava na profissão certa. Decidiu empreender e enfrentou muitas dificuldades, inclusive financeiras e a falta de apoio, mas com muita garra e persistência conseguiu dar a volta por cima. Hoje ela ajuda mulheres que também querem encontrar o seu caminho e buscarem uma vida satisfatória com o seu projeto, o Ela Escolheu Ser Feliz. Conheça um pouco mais da entrevistada de hoje.

– para quem não te conhece, quem é Isabella Mogiz?

Eu sou uma mulher que enfrentou muitas turbulências na vida,  porém, apesar delas decidi que seria feliz. Lutei com unhas e dentes, contra tudo e contra todos que me disseram que a felicidade não existia e também contra aqueles  que tentaram me fazer infeliz. Durante minha caminhada não tive apoio de quem mais esperei, sofri, lutei e superei, e a vida me mostrou que o apoio pode vir de onde menos se espera. Por isso eu fundei o Ela Escolheu Ser Feliz, esse lugar destinado a todas as mulheres que assim como eu enfrentam a vida em busca de mais propósito, realização e sentido. Eu acredito que tudo é possível, por isso estou nessa jornada e dou apoio a todas as mulheres que desejam fazer parte dela. Quero que todas alcancem o que eu também alcancei.

– no que você já trabalhou?

Nossa! Eu sempre tive uma alma empreendedora e um desejo ardente por ser livre e feliz em meu trabalho. Então eu comecei como todos começam. Me formei em psicologia, abri um consultório com minhas amigas, mas infelizmente essa primeira tentativa não deu certo e fechamos as portas no 1° ano após a abertura. Então fiz alguns concursos públicos e decidi trabalhar no mundo corporativo, mas logo vi que não seria por aí. A falta de liberdade de tempo e de poder exercer minha criatividade me matavam, então eu joguei tudo para o alto fui empreender. Nessa época eu sequer conhecia essa o termo empreender, eu só sabia que desejava um trabalho que me desse liberdade, me fizesse bem e feliz, e fui correr atrás de encontrar. Então fui consultora de beleza, revendi semi joias, tentei criar minha própria linha de bijuterias e fui maquiadora também, mas não me encontrei em nenhuma delas. Então depois de um longo processo de autoconhecimento em busca de encontrar o trabalho que realmente me fizesse feliz, nasceu o Ela Escolheu Ser Feliz que hoje é meu trabalho em tempo integral e onde eu finalmente me realizei e encontrei todas as características que eu desejava.

– qual é seu trabalho hoje?

Hoje eu trabalho diretamente com o desenvolvimento pessoal e profissional de mulheres que querem se encontrar e ir além. Eu faço tudo isso por meio do site Ela Escolheu Ser Feliz, oferecendo materiais de uso coletivo e também com meus serviços de Coaching de vida e carreira, Conversa terapêutica e Mentoria para negócios.

– você me comentou que já fez de tudo um pouco em busca de liberdade profissional. O que essas experiências te ensinaram?

Essas experiências me ensinaram muito. Fora toda a questão técnica que eu aprendi com cada uma delas, eu aprendi a ser humilde, a valorizar todo e qualquer tipo de trabalho, eu aprendi sobretudo que o que importa não é o trabalho em si, mas o trabalho que te faça feliz, não importa qual seja. O importante é que ele tenha todas as características que são importantes e satisfaçam você.

– antes de iniciar essa busca, você trabalhava com o que? Era infeliz no seu trabalho?

Faz muito tempo que estou nessa estrada, mas antes de iniciá-la, eu me aventurei pelo mundo corporativo, e posso dizer que foram os piores anos da minha vida. Os horários rígidos e a falta de liberdade para trabalhar acabavam comigo. Não estou dizendo que o trabalho no mundo corporativo é ruim. Há quem goste. Até porque se todos resolvessem fazer exatamente a mesma coisa o mundo não iria para frente, mas definitivamente eu descobri que esse não é um trabalho que me faz feliz.

– qual foi o momento e o que aconteceu para você tomar a decisão de encontrar outra profissão?

Foi quando eu me vi acordando todos os dias e sentindo um desespero sem fim por ter que encarar mais um dia de trabalho. Eu estava infeliz, tinha vontade de chorar e gritar, estava perdendo minhas forças e definitivamente eu não estava disposta a ser levada pela correnteza.

– como surgiu a ideia do Ela Escolheu Ser Feliz?

Nossa! O Ela Escolheu Ser Feliz foi sendo construído ao longo de uma vida, mas especificamente eu passei o ano anterior ao seu surgimento fazendo experimentações no mundo do empreendedorismo, cursos e um profundo processo de autoconhecimento. Então descobri que eu gostaria de trabalhar com mulheres, especificamente auxiliando essas mulheres a alcançarem uma vida satisfatória e feliz assim como eu mesma tinha alcançado.

– qual seu trabalho com o site?

Hoje no site eu produzo semanalmente um material gratuito de qualidade, cujo principal objetivo é inspirar as mulheres a agir, indo de encontro a uma mudança profunda de vida. E além desse material semanal gratuito eu trabalho diretamente com essas mulheres por meio do Coaching de vida e careira, Mentoria para negócios e Conversas terapêuticas.

0083_Missa-F-Nadir
– quais as maiores dificuldades que você enfrentou para fazer essa transição?

A maior dificuldade foi a questão financeira e a falta de entendimento da minha família.

– você se considera bem remunerada?

Sim, hoje o Ela Escolheu Ser Feliz é meu trabalho em tempo integral, sem contar com os ganhos que não podem ser precificados. Como diz a propaganda de cartão de crédito, tem coisas que realmente não têm preço.

– já passou por dificuldades financeiras?

Sim! Essa história de ganhar dinheiro fácil da noite para o dia na internet não passa de um conto da carochinha. É preciso muito trabalho, erros e acertos antes que a coisa comece a funcionar. No meu caso, como não tive a maturidade e o apoio necessário e esse mesmo apoio que eu ofereço hoje para minhas clientes, eu passei muitos momentos difíceis, mas foram também ótimos momentos para crescimento. Quando não se ganha quase nada, nós aprendemos a gerir o pouco o que temos, aprendemos a abrir mão do consumismo, ver que o dinheiro não é o mais importante. Na verdade ele é apenas um pequeno ponto da vida. E com esse aprendizado em mãos, eu fui aprendendo a como consolidar um negócio na internet, até chegar onde estou hoje.

– o que mudou na tua vida comparando com os trabalhos que tinha antes?

Absolutamente tudo. Hoje eu faço o que amo, tenho liberdade para criar e trabalhar à vontade, tenho inclusive liberdade para errar. Hoje eu trabalho de segunda a segunda, mas feliz, não tenho hora para começar e nem para parar, mas sempre que quero ou preciso posso dar uma pausa, viajar, fazer o que eu quiser. Hoje posso estar mais perto da minha família e amigos sem que meu trabalho seja um empecilho. E, principalmente, hoje eu tenho um tempo de qualidade para cuidar de mim.

– você tem mais qualidade de vida hoje?

Com toda certeza sim! Hoje eu sou mais feliz, porque trabalho com o que eu amo, e com certeza tenho mais tempo para cuidar de mim, posso me alimentar melhor, fazer exercícios físicos, cuidar do corpo e da alma sem me preocupar com chefe e horários.

– você trabalha em casa? como é a sua rotina?

Meu trabalho é totalmente em casa. Como eu não funciono bem com pressão de horários, eu tenho uma agenda de trabalhos diários que precisam ser cumpridos até o final do dia.

– como foi e como é lidar com a questão do medo?

Lidar com o medo foi difícil. Como eu disse, passei um tempo com pouquíssimo ganho financeiro. Mas o que temos medo é do desconhecido. Quando eu cheguei nesse ponto eu descobri que a vida acontece, as soluções vão se apresentando. O melhor aprendizado da vida acontece quando não se tem nada. Você perde o medo, aprende a valorizar o que realmente importa na vida.

– tua família te apoia nas tuas decisões?

Sim e não. Hoje eles continuam não entendendo nem apoiando meu trabalho. Eles são de outro tempo, então acredito que vão desejar eternamente que eu entre para o serviço público. Mas quando eu preciso deles, eles estão sempre dispostos a me ajudar.

11295847_10204357117636251_222913457087391756_n

 

– quais as maiores vantagens de empreender pela internet?

Liberdade de tempo e qualidade de vida.

– e quais as desvantagens?

Você não tem salário fixo, 13°, férias, licença maternidade, etc. Você precisa saber administrar bem seu tempo e seu dinheiro e também tomar cuidado para não ficar só em casa e se isolar do mundo. É preciso ser bem organizado e agir com sabedoria.

– quais seus objetivos futuros?

Meus objetivos são consolidar ainda mais o Ela Escolheu Ser Feliz, alcançar todas as minhas metas profissionais e de vida, dentre elas está a escrita de dois livros e o lançamento de um curso online.

– qual teu propósito de vida?

Meu propósito de vida é cresce e alcançar tudo o que desejo e dessa forma ajudar a todos ao meu redor a alcançarem o mesmo. Para mim a vida só faz sentido quando estou em crescimento e desenvolvimento e ajudando todos ao meu redor.

– acredita que empreender é uma boa saída para quem está infeliz no trabalho?

Sim e não. Nem todos têm o desejo e as características necessárias para empreender. Empreender é apenas um dos caminhos, mas a melhor saída é o autoconhecimento, descobrir o que não está legal no trabalho e ir em busca de uma trabalho que lhe faça bem, que contenha todos os requisitos necessários para que você se sinta bem.

– por que você acha que as pessoas tem tanto medo de colocar as ideias em prática?

Porque elas estão apegadas a uma falsa estabilidade. E digo falsa porque nada é certo. Criamos essa ideia de estabilidade para nos proteger, mas no fundo ela não existe. E por mais que perceber isso seja aterrorizante, também é muito libertador.

– o que você diria para alguém que te falasse hoje que não consegue sair do seu emprego e empreender?

Eu diria para essa pessoa que não é fácil, mas também não é impossível. As barreiras quem cria somos nós mesmos. Deixaria bem claro que para empreender não é preciso abrir mão de tudo, sair sem lenço e sem documento por aí, se jogar de cabeça e correr o risco de perder tudo. Existe um jeito mais leve para fazer essa transição e para isso é importante também procurar ajuda, não adianta querer fazer tudo sozinho. No meu caso, quando finalmente entendi que o que eu queria era empreender, eu parei de dar murro em ponta de faca e fiz cursos e passei por um processo de coaching e autoconhecimento. Isso é importante, porque ninguém precisa fazer o percurso sozinho.

– que dica você daria para aquelas pessoas que querem começar mas não sabem por onde, tem medo e receio do que as pessoas vão dizer?

Comece devagar, vá experimentando aos poucos e, se possível, invista em seu desenvolvimento pessoal, procure por cursos, coaching, mentores, etc. Encontre ajuda, caminhar sozinho é muito desgastante. Durante alguns anos eu fiz isso e, como eu disse, foi extremamente extenuante. Caminhar junto é muito mais leve e divertido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sell english essays online professional essay writer service video game research paper best custom writing websites best holiday essay