A vida empreendedora e materna de Bárbara Vitoriano

Fotos: Arquivo Pessoal

Fotos: Arquivo Pessoal

Bárbara Vitoriano é mãe e empreendedora. Sempre gostou de escrever e teve seu primeiro contato com blogs quando nasceu sua primeira filha, Júlia, hoje com seis anos. Logo depois do nascimento de Isadora, hoje com um ano e meio, foi quando decidiu sair da agência e se dedicar aos seus projetos. Hoje ela trabalha em casa, consegue trabalhar e passar mais tempo com as suas filhas. Conheça um pouco mais da entrevistada de hoje.


– para quem não te conhece, quem é Bárbara Vitoriano?

Bom, a Bárbara é hoje mãe de duas, jornalista que sempre amou a profissão e sempre amou trabalhar. Porém após a maternidade viu que essa relação era um pouco mais complicada e por isso decidiu empreender, para ter mais controle sobre a rotina e uma maternidade mais ativa e presente.

– no que você já trabalhou?

Apesar de ser Jornalista, sempre trabalhei com Marketing. Hehe. Em agências de marketing digital.

– trabalhou muito tempo nisso? em várias empresas?

Dentro dessas agências fui rodando em diversos setores para aprender. Comecei como editora de conteúdo, analista de relacionamento, assessoria de imprensa e meu último cargo foi analista de SEO. Em três empresas durante cinco anos.

– como surgiu a ideia do teu trabalho atual com os sites? Qual o foco dos teus projetos?

O Indiretas começou como uma brincadeira. Resolvi compartilhar toda a alegria que sentia sendo mãe inspirada na página Indiretas do Bem, e deu muito certo. Com o tempo e crescimento montamos o blog e mais tarde a loja (http://loja.indiretasmaternas.com.br). Aí quando começamos a fazer os bodies, começamos com uma loja virtual a Puxunga (www.puxunga.com.br) que vende itens criativos e diferenciados para crianças e famílias. Neste cenário, muitas mães me procuravam para pedir dicas de trabalho e assim surgiu o Empreender Materno (www.empreendermaterno.com.br) que é meu projeto mais recente onde as mães que desejam empreender encontram apoio, conteúdo, cursos e consultorias.

– Você tinha essa loja virtual e mais tarde virou a loja do teu site, isso? E no início você não tinha blog? Era só no facebook antes ou como era?

Do Indiretas era só Face. Aí quando vimos que começou a dar certo abrimos o blog e começamos a fazer os produtos. Em seguida abrimos a Puxunga e recentemente a loja do blog. Tudo ainda existe. Rsrsrsrs.

– Mas o que vende em uma loja vende em outra ou são duas lojas diferentes? E você mesmo produz as roupas ou como é isso?

São lojas diferentes. Na loja do indiretas são apenas produtos da marca: bodies, pôster e vamos trazer canecas, almofadas e etc. A puxunga já é uma loja mais geral. Também vende dos bodies do indiretas, mas vende também slings, bolsas, brinquedos e outras coisas infantis.

– E esses dois sites são administrados só por você ou você tem sócios?

Na Puxunga tenho o auxílio da minha irmã e da minha mãe. Agora o Indiretas e o Empreender sou só eu.

– A Puxunga é só online?

Só online. As vezes vendemos pra gente daqui. Mas aí ou vamos à domicílio ou a pessoa vem aqui no escritório. Mas é raro.

– o indiretas começou quando estava grávida ou depois que tinha nascido a primeira filha? E quando engravidou você ainda trabalhava em agências e depois não voltou mais por causa do indiretas? como foi isso?

Foi durante a gestação da minha segunda filha. Depois que tive a primeira fiquei um tempo em casa com ela. Foi quando comecei a ter meus primeiros blogs. Mas mesmo assim, voltei a trabalhar fora. E trabalhava com os blogs em paralelo. Na segunda, eu ainda cheguei a tocar uns projetos na agência, mas saí em seguida e agora só empreendo.
barbara
– E o que te fez decidir empreender? Por que você começou com os blogs e projetos e depois decidiu trabalhar só nisso?

Eu sempre quis empreender, mas não tinha uma motivação maior que veio com minhas filhas. Eu trabalho muito mais do que trabalhava nas agências, mas agora tenho controle da nossa rotina, da nossa agenda. Posso viajar com elas, levá-las no parquinho, na natação. Faço as refeições delas. E eu comecei com os blogs porque sempre amei escrever. Só uni o útil ao agradável.

– você considera que era infeliz nos trabalhos anteriores?

Não. Cada trabalho foi importante para construir quem eu sou hoje. Aprendi muito e fui feliz enquanto estive neles, mas as coisas mudam, as prioridades também, e vi que tinha mais felicidade ainda no empreendedorismo. E cá estou eu. Hehe.

– você trabalha em casa, certo? Como é isso de trabalhar em casa, poder cuidar das filhas e ao mesmo tempo manter tua carreira?

Uma loucura. Hehe. A rotina é bem definida se não, não dá. Claro que nem sempre as coisas saem como planejado, mas aí aprendi a diminuir as expectativas. Eu vejo como uma vantagem porque querendo ou não é mais fácil manter o controle das coisas daqui. Mas ao mesmo tempo é preciso ter muita disciplina. Quando eu estou trabalhando (e elas estão na escola) às vezes dá vontade de varrer a casa, organizar alguma coisa, mas não faço. Se não a gente não trabalha.

– e então, como é a tua rotina?

Resumidamente, de manhã minhas filhas estão na escola, esta é a hora que eu uso para trabalhar, e aí eu foco mesmo. Quando está perto da hora delas chegarem eu desacelero e vou arrumar o almoço que geralmente está semi pronto.
A tarde enquanto elas descansam ou dormem um pouco aí sim eu corro com a casa, mas fazemos um pouquinho todo dia. Aqui não há o “dia da faxina”, mas sim a limpeza incorporada na rotina.
Tenho listas que me ajudam a saber o que e quando eu tenho que fazer. Depois a mais velha faz o dever e aí vamos brincar ou passear ou alguma atividade (tipo agora estão brincando lá fora e dei uma fugida aqui). Aí por volta das 18h começamos a desacelerar, tomar banho, brincar aqui dentro, o pai delas chegam, elas jantam e entram na rotina do sono. Vão pra cama às 20h e eu volto para o trabalho. Aí damos mais uma geral na casa, arrumamos mochila para o outro dia começar tranquilo. E pronto!

– mas quantas horas em média você chega a trabalhar por dia? dorme o suficiente ou usa a madrugada para trabalhar por ser a hora que elas estão dormindo?

Em alguns momentos sim. Mas a maioria das vezes durmo por volta das 23h e acordo 5h30. Mas depende do cansaço.

– e teu marido apoia essa tua carreira? tua família te apoia? te apoia e te apoiaram no início?

Sim, se não não daria conta. Ele também é empreendedor. Então nos ajudamos muito. Trocamos ideia. Minha mãe ajuda, meu pai. Quando tenho algo para resolver eu chamo a família toda. Hahahha.
Acho que para a mãe que quer empreender é muito importante a rede de apoio para dar sustentação. Meus pais não entendem muito, mas quando eles veem minhas palestras acham legal e apoiam.

– e como foi tua trajetória? teu site do indiretas tem mais de 100 mil curtidas. É muita gente. Ao que você credita essa audiência? E o que fez desde que começou para que tantas pessoas gostassem do teu trabalho e tivessem interesse em te seguir?

Boa pergunta. Acredito que seja por eu viver a maternidade. Então a gente acaba falando muito a linguagem do público que se identifica.

– quanto tempo faz que você tem os sites?

O Indiretas 2 anos e o empreender vai fazer 1. Mas comecei com o www.tudodeconcurso.com em 2009. Tenho o www.soumaeeagora.com que era meu antigo blog de maternidade que ainda mantenho no ar gerando $$ com adsense e outros programas.

– Seu primeiro projeto foi o site de concursos em 2009, depois o sou mãe e agora e depois os dois atuais, isso? e você continua atualizando todos eles?

Isso, e tenho outros em andamento. Hahaha. Tenho o www.roteirobabycampogrande.com.br, www.umavidamaisfeliz.com.br e www.empreenderhoje.com.br. Mas esses estão em andamento ainda. O TDC eu perdi ele no ano passado. Não tinha feito backup. E deu um treco no banco de dados. Eu tinha muito conteúdo nele. Mas tive que recomeçar do zero. Então atualizo de vez em quando. O mesmo acontece com o sou mãe.
Eles meio que andam sozinhos. Mantém uma certa quantidade de visitas e geram um $$. Claro que podiam gerar mais $$, mas não são prioridades no momento. Mas vale a pena deixá-los no ar sabe?


– Então como você faz para manter tantos projetos ao mesmo tempo? E você tem mais esses outros sites, qual tua ideia com eles? Sobre o que eles vão tratar? E você vai fazer tudo sozinha ou tem parcerias?

Eu tento manter uma rotina e cada dia da semana dou aquela revisada especial em cada um deles. Também agendo muita coisa. Tiro um dia que estou inspirada e vou produzindo conteúdo e agendando. A ideia com esses outros é gerar renda com conteúdo, afiliados e divulgar os meus projetos mesmo.

– você acha que essa ideia de trabalhar em casa e ser empreendedora para cuidar dos filhos é uma ótima saída para mães que querem ver seus filhos crescerem ou até para pais? o que você diria sobre isso?

Sim! Eu acredito. Hoje, eu e meu esposo conseguimos dividir melhor as tarefas. Ele as leva para a natação no meio da tarde. Comparecemos a todas as reuniões de pais, apresentações nas escolinhas. É outra vida. Rsrsrsrsrsr. Mas também acredito que a motivação tem que ser além dessa sabe? A gente se realiza empreendendo.

Esses dias vimos um casal que vende hot-dog aqui na frente do prédio. Eles já são de idade. Aí falei pra ele: quando estivermos velhinhos, podíamos abrir uma barraquinha dessa, trabalhar tranquilos. E ele falou: não, imagina! A gente ia querer abrir uma rede de carrinhos de hot-dog. Hahaha. É meio assim.
Tem uma realização pessoal em empreender e isso também é importante. Passamos para nossas filhas uma relação gostosa com o trabalho. E não aquilo de ficar 10h fora de casa e chegar estressado. Não há essa divisão entre vida pessoal e profissional. Afinal a vida é mesmo uma só né?

– você é bem remunerada hoje? de que formas ganha dinheiro com seus projetos?

Sim! Alcancei minha primeira definição de sucesso que estabeleci pra mim. Com publicidade, consultorias, cursos, produtos, afiliados.

– primeira definição de sucesso? qual?

Ganhar o que eu ganhava nas agências com uma maior qualidade de vida.

– e você passou dificuldades financeiras depois que tomou essa decisão?

Dificuldades não, mas fizemos uma contenção de gastos. Mas como eu já tocava os projetos antes, já tinha uma base.

– a maioria das pessoas hoje é infeliz no trabalho, mas não faz nada para a situação mudar. O que você diria para essas pessoas?

Que só depende delas. Às vezes a gente coloca a culpa em várias coisas, quando tudo está em nossas mãos. Esses dias uma mãe me falou: mas você viu a “fulana” no evento X? Eu jamais poderei competir com ela, não tenho dinheiro para viajar, comprar cursos caros e etc. E está aí um grande erro. Nunca teremos a situação perfeita pra nada. E depende de nós criarmos as oportunidades mesmo assim.

– se alguém te falasse hoje que quer empreender, o que você diria para essa pessoa?

A primeira coisa se ela tem certeza disso. A segunda coisa pra ela se planejar e se organizar. A terceira pra estudar e a quarta pra se jogar!

– e por que você acha que tem tanta gente infeliz no seu trabalho, mas que não faz nada para que a situação mude?

Porque é difícil mudar. Não é fácil e exige muito de nós. Empreender também. Às vezes é mais cômodo ficar ali.

– teve medo de dar errado? como lida com a questão do medo?

Sim. Com certeza. É meio pular de bungee jump. Feche o olho e vai. Hahaha. Brincadeiras a parte. Acho que o que combate o medo é o planejamento. Ter sempre um plano B, C, D.

2 comentários em “A vida empreendedora e materna de Bárbara Vitoriano

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

mba essay services buy resume paper write paper for me custom writing services uk best holiday essay