Sobre esse medo que nos acompanha

O medo não pode nos impedir de seguir em frente (Divulgação/Pixabay)

O medo não pode nos impedir de seguir em frente (Divulgação/Pixabay)

 

Já escrevi sobre o medo aqui no blog. Se você ainda não leu, clique aqui.

Mas essa semana enviei um texto para os assinantes da minha newsletter que também fala sobre o medo. É algo mais atualizado também, porque muita coisa mudou desde o outro texto. Por isso achei interessante compartilhar esse texto aqui no blog. Ele está aqui abaixo. Espero que te inspire!

E se quiser receber os textos no seu e-mail, clique aqui e assine a minha newsletter.

Quando temos medo de tirar as ideias do papel

Muita gente nesse momento, inclusive você que está lendo, pode estar pensando em sair de seu trabalho, trabalhar em casa, ter mais liberdade e qualidade de vida e ter mais tempo para se cuidar. Isso é ótimo e se você está pensando nisso fico muito feliz.

No final do ano sempre começam as metas para o ano seguinte, onde quase nenhuma acontece, mas o foco desse texto não são as promessas que não saem do papel no final de ano. O que quero falar hoje é sobre o medo de colocar em prática essas promessas.

Já disse por aqui e não custa dizer de novo que eu sempre tive medo e nesse momento, enquanto escrevo esse texto, tenho medo. Ter medo faz parte e ele é bom. O medo nos impede de pular de uma ponte porque sabemos que vamos nos machucar.

O problema é quando o medo nos impede de sair de casa, de escolher nosso futuro, de decidir o que queremos para nós mesmos.

Também temos medo da reação das outras pessoas. O que nossos pais, amigos, namorado ou namorada vão dizer se tomarmos uma decisão que pode e vai mudar muito a nossa vida.

Nesse caso da reação das pessoas, a dica que eu dou é simples. Fique perto de quem te entende. Se quando você contar para seu pai que quer empreender a resposta dele for “isso não vai dar certo”, mas depois quando contar para sua mãe ela dizer: “você que sabe. Só quero que você seja feliz” então não divida esses momentos com seu pai no início. Fique mais próximo da sua mãe que ela te entenderá melhor.

Pode parecer insensível ou qualquer coisa do tipo, mas não é isso. Não é para deixar seu pai fora de sua vida. É para deixar ele fora do assunto trabalho por um tempo, até as coisas começarem a caminhar, até ter um retorno. Quando você criou seu projeto e ele está pronto, estruturado e te fazendo feliz, você vai escolher o momento e dizer para ele que criou seu caminho mesmo ele achando que não ia dar certo. E certamente ele vai te entender e te parabenizar. É nesse sentido.

É muito melhor começar sem apoio do que não começar porque algumas pessoas não te apoiam.

Trabalho em casa há mais de um ano e minha mãe sempre me pede quando eu vou conseguir um emprego com carteira assinada. Quando eu digo que nunca mais vou trabalhar das 8h às 18h é como se eu estivesse xingando muito ela. Minha mãe fica arrasada.

E quando contei que ia sair do meu trabalho para trabalhar no meu projeto e fazer freelas trabalhando em casa, ela não disse “eu te apoio”. Ela disse que não ia dar certo, que eu ia ficar sem dinheiro, que eu tinha que ter um emprego porque tem estabilidade e todas essas coisas que sempre ouvimos.

Nesse momento eu fiquei triste, claro. Minha mãe não apoiava minha ideia. E ainda não apoia.

Eu fiquei com mais medo de seguir essa trajetória. Mas eu tinha duas opções. Ou ficava trabalhando onde estava e sendo infeliz ou seguia o que meu coração dizia, que foi o que eu fiz.

Quem melhor para dizer o que eu quero do que eu mesmo? Pense nisso.

Já pensou quando você estiver com seus 90, 100 anos e seu neto te pedir “vô (ou vó), trabalhar é legal? Você era feliz?”

O que você vai responder? Vai dizer que foi infeliz a vida inteira porque aceitava muito a opinião dos outros?

Eu não sei o que vai acontecer comigo daqui alguns anos. Acredito muito no potencial da internet e tenho várias ideias de projetos. Mas mesmo que tudo dê errado (o que acho praticamente impossível) eu responderia para meu neto com orgulho: “eu trabalhei por conta própria, ajudando as pessoas a conseguirem liberdade e qualidade de vida trabalhando pela internet. As pessoas não entendiam muito o que eu fazia, mas eu me sentia bem e feliz com esse trabalho.”

Tenho certeza que meu neto ou neta sentirá orgulho de mim.

E se você quer seguir o mesmo caminho que eu, fique perto de pessoas que te entendam. Essa dica é simples, mas valiosa. Minha namorada sempre me apoiou. Ela trabalha com carteira assinada e não tenho nada contra desde que ela seja feliz (e ela é).

Mas ela entendeu que eu não era e também entendeu e apoiou a minha mudança, assim como apoia até hoje. Então se eu sou convidado para palestrar em um congresso online ou se alguém elogia meu trabalho, eu conto para ela e não para minha mãe ou para algum amigo que acha que trabalhar pela internet é uma bobagem.

Isso me deixa com menos medo? Claro que não. Eu ainda tenho medo. E sempre terei. Mas me sinto melhor conversando com pessoas que entendem o que estou fazendo, que não falam o tempo todo que não vai dar certo.

E para encerrar esse texto que já está bem longo, tem uma frase do Tim Ferriss, do livro Trabalhe 4 Horas Por Semana, que foi feita para dar mais coragem para você que tem medo.

Ele comenta que se você mudar e tudo, absolutamente tudo der errado, qual a pior coisa que poderia acontecer? O pior, segundo ele, seria voltar onde você estava antes. Ou seja, em um trabalho infeliz.

Então se o pior é onde você está hoje e você sabe que se não for feito nada vai continuar onde está, porque não se arriscar? Todo mundo diz que pode dar errado. Mas vai que dá certo? Por que não pensar no lado positivo também? É isso que quero com esse texto.

Quero que você enfrente o medo, tenha coragem e siga em busca dos seus sonhos e objetivos.

O caminho não vai ser dos mais fáceis e nem sempre vamos ter muito apoio. Mas siga seu coração e faça o que acha que é certo. Com dedicação, força de vontade e persistência os resultados vão aparecer. Pode ter certeza disso.

E lembre-se sempre que o medo existe e sempre vai existir. Mas não fique paralisado pelo medo. Simplesmente enfrente.

Tenho certeza que o resultado depois de enfrentar o medo será muito melhor do que você esperava.

Grande abraço,

Dieverson Colombo

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

write homework write homework help paper argument essay help what do i do if i didnt do my homework writing my dissertation